quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

APRESENTAÇÃO



  JUDAÍSMO BÍBLICO FUNDAMENTADO.
 Judaísmo Caraíta.
http://judaismobiblico.blogspot.com.br/  
  המקרית היהדות   
                         
Blog  Oficial  no  Brasil.

 ATENDO-SE
 
A VERDADE BÍBLICA ORIGINAL.
Apoio: Alunos e ex alunos que cursaram no Brasil e aprovaram na U J C.
        Responsabilidade: Benyamin ben Avraham.                                                                  


Versos de reflexão:
"A Tua palavra é verdade desde o princípio e cada um dos Teus juízos dura para sempre." Salmos 119:160.
"Não se aparte da tua boca o Livro desta Lei, antes medita nele dia e noite para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito. " Josué 1:8

"Nenhuma palavra houve, de tudo o que Moisés ordenara, que Josué não tivesse lido perante toda a congregação de Israel."Josué 8:35.  

"Maldito aquele que não confirmar as palavras desta Lei (Torá) não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém." Deut. 27:26.

"Disse mais o YHVH a Moisés: Escreve estas palavras, porque conforme o teor destas palavras tenho feito concerto contigo e com Israel." Êxodo 34:27.


     SER LIVRE PARA PESQUISAR.
 O ser humano é dotado de livre arbítrio, e sua capacidade de pesquisa pode levá-lo a verdadeiras e incríveis pesquisas, que se bem feitas e direcionadas podem levá-lo a descobrir coisas que ele se quer imaginava existir. Com a ajuda de Deus e fé somos capazes de transformar nosso conhecimento, transformar nossas vidas, influenciar o nosso meio e ainda ajudar nosso semelhante a também experimentar o mesmo conhecimento que nós. E o judaísmo bíblico talvez seja uma das coisas que você jamais tenha ouvido falar, mas ele sempre esteve lá. Ser livre é maravilhoso, ser um ser humano é um privilégio dado por nosso Criador, que dá a cada um aquilo que busca. Aprimorar para crescer, crescer para ser feliz.  Esta liberdade é tão fascinante, que o próprio Criador sente prazer nisso, por ver suas criaturas fazerem suas escolhas certas livremente.

O QUE É SER JUDEU? Ser judeu é muito que nascer de família judaica e muito mais que nascer em Israel. Isto é apenas um detalhe se faltar e essência, a alma judaica de verdade que leva a realidade interna deste ser: Praticar judaísmo. Sim, ser judeu é viver como judeu. Você pode ser um cidadão de qualquer nação, mas sua alma será judaica se viveres o que acreditas. Ser judeu é estar no pacto de Abraão e ser um praticante da religião judaica com total sinceridade. Ser judeu de vivência bíblica exclui o Talmud, então você será bem diferente, você será raro mas não menos real. Isto é fascinante...!  Mas para quem não nasceu judeus e de repente quer se tornar um, bem; é um longo caminho. Porém, se ele é longo, que tal começar já? Explique para o Criador, Deus, que você tomou esta decisão, e viva como se já fosse judeu, sinta-se um judeu, e Ele fará tudo para que este seu intento se torne realidade. Mas cuidado com seitas. Judeu segue só judaísmo. É preciso seguir um longo caminho até se chegar ao conhecimento amplo e principalmente se perguntar: 'por que'  quero ser um filho de Avraham? (Isaías 56:3-7; Salmos 119:30). Porém, respondidas estas perguntas praticar Suas Leis nos dá muita alegria, a alegria de pertencer ao povo que Ele o Criador de tudo escolheu. E Suas regras são possíveis de cumprir, algumas um pouco mais fáceis outras nem tanto, mas todos possíveis de se praticar.  O Criador jamais daria leis a quem quer que seja se elas não pudessem ser cumpridas, isto seria uma incoerência, atributo não pertencente a um Criador Perfeito (Deut.30:11-14). O Judaísmo bíblico original ou caraíta se propõe a mostrar como se viver de maneira simples e objetiva os ensinamentos do Criador. Como entender Seu plano para a humanidade seguindo apenas as Escrituras Sagradas (Antigo Testamento ou Tanach). Como entender como as coisas funcionam no Seu plano de orientação  para os dias de hoje. Como podemos evitar ser enganados por doutrinas e filosofias que embora contenham algumas verdades, não são originais e portanto, tem enganos. 

BIBLIOLOGIA - O termo bibliologia pode ter muitas conotações na era moderna, visto que existe uma indefinição no próprio conceito da palavra bíblia, se é com ou sem o novo testamento no conceito de muitos estudiosos.  Sendo que o N.T.  é conhecido como: Escrituras gregas cristãs, e o A.T. por: Escrituras hebraicas ou Tanah. Para os judeus   a Escrita do novo testamento foi feita em uma época que  os judeus consideram fora do período profético (biblicamente) falando. Os judeus todavia, estão convencidos no pleno sentido da palavra de que Sagradas Escrituras são apenas o Tanach, (A Lei, os 5 primeiros livros e os demais até Malaquias). Sendo assim, Bibliologia é o estudo da "bíblia" para os cristãos e outros, mas tendo sentido de estudo das Escrituras Hebraicas para os judeus. Assim que o real sentido da palavra 'bibliologia' poderia ser definido como a ciência que estuda os princípios  do ensino dos 'escritos sagrados' e sua aplicabilidade em cada geração, procurando não só entender mas saber como aplica-los, dada as circunstâncias do ambiente e época em que se vive e como foi educado ou doutrinado.
 Fundamento espiritual e ético é baseado só no que está escrito.

  O ensinamento da Torá e Tanah (Bíblia Hebraica), que fui dado por YHVH (Yahuh), através de seus servos os profetas, e nestes  não pode ter dogma ou ensinamento dogmático puramente humano. A própria palavra religião não está no Tanah. Por que ? Porque é uma terminologia nova criada para se referir a todas as organizações religiosas, e não tinha o conceito de religião dos hebreus, que era única em muitos aspectos. O dogma é a interpretação feita pelo líder que a apresenta do seu jeito, enquanto que o ensino judaico original do Deus de Israel não sofre alteração, é puro e exatamente como foi dado originalmente. Por que? Porque  se baseia só no que está escrito. Nenhum novo ensino ou nova ciência pode suplantar a palavra dada pela maior autoridade espiritual do Cosmo, o próprio Criador, Pai de todos os seres espirituais e terrenos. Ao confrontarmos estes princípios básicos e que não aceita emendas, deparamo-nos com o dilema: Mudaria Deus sua Lei ? Seria possível adaptarmos conceitos tão antigos para uma realidade moderna nos dias de hoje ?  Salmos 119: 44 e v.160; Deut. 12:32; Deut. 5:32; Isaís 26:3.



  Considerações sobre movimentos judaicos verdadeiros.

Pelo autor do blog: Benyamin ben Avraham.

"Tendo Moshé escrito num Livro as palavras desta Lei (Torá) , até de todo as acabar, ..." Devarim (Deut.) 31:24

CONVÉM OBSERVAR:
 Dentro do judaísmo bíblico (dos que seguem só o Tanah), existem pelo menos três grupos: Os judeus de Israel, os judeus de Rússia e região, e os judeus descendentes dos judeus falashas da Etiópia (Não os falashas murah), hoje na quase totalidade em Israel, pertencentes a algumas das dez tribos perdidas de Israel.
O Maior grupo porém, são os judeus da doutrina farisaica, que adotaram um livro de interpretação, conhecido hoje como Talmud. Este grupo adotou  a ideia de que Elohim tinha dado duas Leis no Sinai: uma oral e outra escrita. Mas será isto um ensinamento verdadeiro ?  Dentro de uma religião que sempre ensinou unicidade na adoração, (Um Elohim só) haveria dualidade com relação aos Livros Sagrados? Ou seja: Para um ensino escrito e outro oral ?Não lhe parece estranho que "seja permitido" ter duas Torot (Bíblias), sendo que na "Lei Oral" não cita os mesmos profetas e autores da Lei Escrita, e não exista menção na escrita sobre a"oral" ?  Em vez disso a "Lei oral" (Talmud)  diz: "Rabino tal em nome de rabino tal disse: ..." Muito diferente do: "E falou o Eterno a Moisés dizendo: ...". ou " Assim diz YHVH: ... " .
  É importante que você saiba que todo este novo ensino (de "Torá oral") começou apenas nos últimos 2 séculos antes da nossa era, ou seja: aproximadamente 200 anos aec, (antes da era comum), e chegou ao século no qual o Novo Testamento começou a ser escrito.  (Lembro ao leitor não judeu que para um judeu o novo testamento não faz parte dos livros sagrados). Na mesma época surgia a tradição oral rabanita, (Mishná e posteriormente a Guemará), portanto sabemos que os ensinos do Talmud  não tiveram origem no Sinai, mas sua invenção foi a maneira que os rabinos saduseus encontraram de se apossarem do controle total das interpretações e assim conseguir manipular as interpretações de seus alunos e seguidores no primeiro século de nossa era. (Isaías 28:14; Ezequiel 34:4). No passado anterior ao citado eles já tentavam, leia: (ll Reis 17:8 e 17:19). Continue lendo e te mostraremos as provas.
 Esta tradição farisaica  tomou  mais força que nunca, quando no ano 70 ec, o Templo de Jerusalém é destruído pelas mãos de Roma. Como já não dispunha do Templo, o judaísmo farisaico permitiu que a tradição e a interpretação tivessem mais importância que a Lei Escrita, pois antes desta data não há registros dela. Esta tradição deu passo à realização de novos "livros", que passariam a ser "lei" por vontade dos rabinos.  Primeiro escreveu-se a Mishná e posteriormente escreveram-se outros livros: a Guemará,  que juntos mais tarde receberiam o nome de: Talmud.  Por outro lado o cristianismo emergia com seus livros que séculos mais tarde receberiam o nome de: "Novo Testamento". Mas só depois de selecionaremos os que fariam parte do "canon" do N.T. (Tente descobrir quem participou desta seleção dos pergaminhos escrito pelos primeiros cristãos; pois esta seleção decidiria quais livros fariam parte do 'Novo Testamento, já que evangelhos havia mais de 40). Estes sistemas religiosos engendraram diferentes pontos de vista e também conflitos que chegaram a Roma. Com o tempo o centro do judaísmo farisaico passou de Jerusalém à Babilônia, lugar onde preparar-se-iam pelos rabinos da época de forma mais completa os livros do Talmud, ou seja a  "Lei oral" (que não poderia ter sido escrita, mas transmitida oralmente, segundo eles) e que supostamente teria sido dada por Moisés. Vemos aí uma contradição nas alegações dos judeus talmudistas pois se Deus, segundo eles, "havia dito" que deveria ser transmitida oralmente, por que eles desobedeceram e passaram a escrever também a "Lei oral" ? Agora ela nem poderia mais se chamar: "oral".  Quem os autorizou escreve-la se nem Moshé (Moisés) ousou fazer isso ? Os judeus talmudistas se defendem e dizem que a escreveram para não correrem o risco de esquecer os ensinamentos orais. Nós  retrucamos, dizendo: Que risco é esse que Elohim não poderia prever e escaparia de Sua força protetora ?  (Isaías 59:9).  E se foi dada oralmente por Moshé, como é que tem contradições ?  Naturalmente, dizem os judeus caraítas, para impedir que esquecêssemos YHVH mandou escrever (já de primeira), se está escrito a gente não esquece, e foi para isso ( e por isso) Ele deu uma Torá Escrita.  O Criador, bendito seja, nos manda estudar somente a Lei Escrita, como está escrito: "Não se afaste de tua boca este Livro da Torá, (singular) e nele medita dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito,..."   Josué 1:8  (Na boca através da leitura, na tua "testa" é gravando na mente, no "teu braço", significando a ação do aprendizado.) - Eclesiastes 3:14 Diz: " Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente, nada se deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar, ..."  Por que o Criador se preocuparia em que  nos afastássemos do Livro escrito se já existia uma "Lei oral", que não podia ser afastada, já que estava mentalizada ?  Só por este raciocínio podemos perceber que "Lei oral", ou Talmud são coisas que Elohim não ordenou. O Criador não confiaria Sua Lei Sagrada a falhas mentes humanas, correndo o risco de se corromper na transmissão de uma pessoa para outra, porém estando escrito é seguro pois se tem um original para comparar.  É só por isso que a verdade prevaleceu. Porque Torá só tem uma! E está escrito: "E MOSHÉ ESCREVEU TODAS AS PALAVRAS DE YHVH" Shemot 24:3,4; e o verso acima, Devarim 31:24 "Até as acabar..." denota claramente que não se havia esquecido de absolutamente nada, e no caso de nos alertar na Torá sobre a importância de uma "Lei oral", aqui estaria o momento certo para escrever este "importante" aviso.  Todavia nada se escreveu sobre "Lei oral". E por que não se escreveu ? Porque tal "Lei" jamais foi dada por Yahuh, O Elohim de Israel, (Números 27:1-11). Se a "Torá oral" já tivesse sido dada estes detalhes estariam lá, e Moshé não precisaria consultar  Yahuh. Não devemos colocar dúvidas nas palavras documentadas em seu Santo Livro, a passagem acima diz: "E Moshé escreveu todas,..." e se escreveu todas não necessitamos de "Lei oral", que não somente não consegue se provar existente e verdadeira, como pelo contrário: é contraditória e sem nenhuma prova que tenha sido dado por Deus. Só porque um "sábio" rabino disse, etc, não quer dizer que Deus disse ... ! Eles seguem cegamente o que o rabino disse, sem conferir nas Escrituras.    Importante observar também que os judeus tradicionais da doutrina farisaica afirmam que há dois Talmudim, o de Babilônia e o de Jerusalém, e sabemos que seu conteúdo é diferente e divergente em muitíssimas partes, e que o de Babilônia é considerado mais "fiel". (Justo o de Babilônia ? ! ...)  Observamos porém, que em toda Escritura o conjunto de normas sagradas é sempre mencionado no singular "Torá", e não no plural: "Torot", o que reforça o argumento judaico bíblico de que Elohim deu mesmo somente uma Torá.  Em sua defesa os judeus caraitas afirmam ainda que: Se o Elohim tivesse dado uma "Lei oral", Ele teria falado sobre ela pelo menos uma vez em toda a Bíblia, o que não ocorreu.
Se  em vez de terem criado o Talmud os rabinos do passado tivessem se concentrado firmemente em divulgar somente nossa Torá Escrita, as perseguições não teriam ocorrido com tanta ferocidade, a historia dos "exílios modernos" seriam bem menores, o holocausto jamais teria ocorrido, e todo Israel hoje seria de judeus bíblicos.  Quanto sofrimento mais terá que suportar o teimoso Israel fariseu, até dar razão ao pequeno grupo dos seus irmãos quando lhes pede: Abandonem o conceito de lei oral? Como pode um povo escolhido para ser 'luz das nações' não enxergar tamanho erro ?
______________________________________________________



Postado há 24th April 2011 por Judaísmo Bíblico


ESTA É UMA POSTAGEM DO JUDAÍSMO BÍBLICO FUNDAMENTADO.