quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

APRESENTAÇÃO



 CARAÍTAS - JUDAÍSMO BÍBLICO FUNDAMENTADO.
http://judaismobiblico.blogspot.com.br/

היהדות  המקראית

              O  OFICIAL BLOG JUDAICO CARAÍTA DO BRASIL.
                                                             

  
A VERDADE BÍBLICA SIMPLESMENTE. -  ENSINO DO POVO HEBREU BÍBLICO.





Este blog  é devidamente autorizado para expor seu conteúdo. Sob a responsabilidade de Benyamin ben Avraham, que apoia incondicionalmente a Universidade Judaica Caraíta (UJC), que  transmite estudos fundamentados na verdade, como também cursos para alunos da América Latina matriculados nela. Seus ensinos são baseados na bíblia hebraica e em dados históricos comprovados.

Versos de reflexão:
"A Tua palavra é verdade desde o princípio e cada um dos Teus juízos dura para sempre." Salmos 119:160.
"Não se aparte da tua boca o Livro desta Lei, antes medita nele dia e noite para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito. " Josué 1:8

"Nenhuma palavra houve, de tudo o que Moisés ordenara, que Josué não tivesse lido perante toda a congregação de Israel."Josué 8:35.  

"Maldito aquele que não confirmar as palavras desta Lei (Torá) não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém." Deut. 27:26.
"Disse mais o YHVH a Moisés: Escreve estas palavras, porque conforme o teor destas palavras tenho feito concerto contigo e com Israel." Êxodo 34:27.


Ser judeu é muito mais que nascer em Israel, em ter apenas descendência consanguínea. É muito mais do que isto. Ser judeu é estar no pacto de Abraão e em ser um praticante da religião judaica com total sinceridade. Mas não nascer judeu e querer ser praticante desta religião é algo difícil, principalmente sem ajuda dos que estão dentro. Não é tão simples. É preciso seguir um longo caminho até se chegar ao conhecimento do que, e como fazer e principalmente porque se quer ser.(Isaías 56:3-7; Salmos 119:30). O Criador jamais daria leis a quem quer que seja se elas não pudessem ser cumpridas, isto seria uma incoerência, atributo não pertencente a um Criador Perfeito (Deut.30:11-14). O Judaísmo bíblico original ou caraíta se propõe a mostrar como se viver de maneira simples e objetiva os ensinamentos do Criador. Como entender Seu plano para a humanidade seguindo apenas as Escrituras Sagradas (Antigo Testamento ou Tanach). Como entender como as coisas funcionam no Seu plano de orientação  para os dias de hoje. Como podemos evitar ser enganados por doutrinas e filosofias que embora contenham algumas verdades, não são originais e portanto tem enganos. Não tome nenhuma decisão sem conhecer a fundo a doutrina devidamente autorizada por Deus para ser transmitida a humanidade: o ensino sagrado bíblico ou caraíta.

BIBLIOLOGIA - O termo bibliologia pode ter muitas conotações na era moderna, visto que existe uma indefinição no próprio conceito da palavra bíblia, se é com ou sem o novo testamento no conceito de muitos estudiosos.  Sendo que o N.T.  é conhecido como: Escrituras gregas cristãs, e o A.T. por: Escrituras hebraicas ou Tanah. Para os judeus   a Escrita do novo testamento foi feita em uma época que  os judeus consideram fora do período profético (biblicamente) falando. Os judeus todavia, estão convencidos no pleno sentido da palavra de que Sagradas Escrituras são apenas o Tanach, (A Lei, os 5 primeiros livros e os demais até Malaquias). Sendo assim, Bibliologia é o estudo da "bíblia" para os cristãos e outros, mas tendo sentido de estudo das Escrituras Hebraicas para os judeus. Assim que o real sentido da palavra 'bibliologia' poderia ser definido como a ciência que estuda os princípios  do ensino dos 'escritos sagrados' e sua aplicabilidade em cada geração, procurando não só entender mas saber como aplica-los, dada as circunstâncias do ambiente e época em que se vive e como foi educado ou doutrinado.
 Fundamento espiritual e ético é sem dogmas humanos.

  O ensinamento da Torá e Tanah (Bíblia Hebraica), que fui dado por YHVH (Yahuh), através de seus servos os profetas, e nestes  não pode ter dogma ou ensinamento dogmático puramente humano. A própria palavra religião não está no Tanah. Por que ? Porque é uma terminologia nova criada para se referir a todas as organizações religiosas, e não tinha o conceito de religião dos hebreus, que era única em muitos aspectos. O dogma é a interpretação feita pelo líder que a apresenta do seu jeito, enquanto que o ensino de Deus não sofre alteração, é puro e exatamente como foi dado originalmente, pois se baseia só no que está escrito. Nenhum novo ensino ou nova ciência pode suplantar a palavra dada pela maior autoridade espiritual do Cosmo, o próprio Criador, Pai de todos os seres espirituais e terrenos. Ao confrontarmos estes princípios básicos e que não aceita emendas, deparamo-nos com o dilema: Mudaria Deus sua Lei ? Seria possível adaptarmos conceitos tão antigos para uma realidade moderna nos dias de hoje ?  Salmos 119: 44 e v.160; Deut. 12:32; Deut. 5:32; Isaís 26:3.


 O que é viver de forma Bíblica ?  Viver da forma bíblica não significa usar as roupas da época, falar e ler apenas em hebraico. E´todavia ter a mente aberta para entender as bases oficiais ditadas pelo Criador, e querer estar em conformidade com elas. É entender as transformações e adaptações necessárias em cada época, sem modificar os ensinamentos divinos fundamentais. Entendemos que o ensino de Deus para o povo hebreu também servirá para toda a humanidade. A Torá diz: "Haverá para vós e para o estrangeiro uma mesma lei" Não é possível crermos diferente, que Deus mudaria uma lei que Ele mesmo deu, ao aceitar que pudesse haver um segundo povo aceito por Ele, mas que divergisse de suas leis dadas a Israel. Isto seria no mínimo incongruente, contraditório a esta lei da Torá. Este povo que se esforça para viver apenas do que está escrito é chamado hoje de: Judaísmo caraíta. No passado foi conhecido simplesmente por: Ensinamento dos hebreus, assim que nos dia de hoje deveria chamar-se: 'hebreuísmo', porque no princípio éramos apenas conhecidos como o povo que saiu do Egito ou povo hebreu. Todavia em dado momento da história adotou-se por necessidade o nome : Judaísmo (da tribo de Judá), assim como mais tarde ainda para nosso grupo (a partir do século 8º), adotou-se o nome : 'Judeus Caraítas', para diferenciar de outros grupos com ensinos não puramente bíblicos. Este ensino bíblico que tem milhares de seguidores e que segue assim desde Moisés, não foi fundado por vontade de homem, mas sua criação foi uma ordem expressa do próprio Criador a Abraão: (Gênesis 12:1-9). 
Adaptar-se é preciso em cada geração. Na era moderna tivemos que nos adaptar e assim se espalhando pelo mundo, este ensinamento alcança o Brasil somente a partir de 2008, mesmo sendo o judaísmo (hebreuísmo), uma religião muitíssimo antiga. No Brasil existe grupos de alunos que já cursaram e outros ainda cursando, preparando-se ao conhecimento original bíblico. Pessoas que desejam uma vivência verdadeira com Deus e seus ensinos. Eles estudam e vivem como judeus caraítas. O grande número de religiões dificulta a aceitação de uma verdade com as bases no original ensino, visto que ele não é apenas original, mas é original e também judeu, e o Brasil não é de maioria judaica, e sim  cristã.  Porém estas pessoas que adotaram a doutrina original, além de estudantes estão engajados em apoiar esta causa milenar iniciada pelos patriarcas Abraão, Isaak, e Yaacob, estão realmente ligados as origens dos ensinamentos verdadeiros da Tora. Não só  aqui mas em outras partes do mundo estes não são alunos comuns. São pessoas com uma bagagem espiritual elevada, resultado de séria e longa busca.  A comunidade judaica caraíta mundial através da UJC oferece toda a estrutura para que o interessado possa mostrar que quer mesmo aprender e ter a oportunidade de pertencer a original religião da Bíblia, seguindo apenas o que está escrito. O judaísmo bíblico tem sinagogas em Israel e outras partes do mundo. O judaísmo caraíta não é nem fariseu nem saduceu, mas tem doutrina original. Com ela dá continuidade ao ensinamento deixado por Moisés, ensinamento este com mais de 3000 anos. Também sabemos como nos orientar pelas Escrituras na era moderna sem o Templo, e repassamos este ensino simplesmente, sem "leis orais". O Judaísmo caraíta obedece a Torá quando ela diz:   "Tudo o que vos ordeno observareis, nada lhe acrescentareis nem diminuireis." (Deut. 12:32.)  
_____________________________________________________

Os judeus caraítas continuam servindo O Elohim de Israel da maneira mais original possível nos dias de hoje.  (Deuteronômio 4:1,2).


Os judeus karaítas não aceitam e não seguem os ensinos do Talmud.
Saiba porque.                                                                                   

  Considerações sobre judaísmo:

Pelo autor do blog: Benyamin ben Avraham.

"Tendo Moshé escrito num Livro as palavras desta Lei (Torá) , até de todo as acabar, ..." Devarim (Deut.) 31:24

Dentro do judaísmo farisaico surgiu uma nova filosofia. A ideia de que Elohim tinha dado duas Leis no Sinai: uma oral e outra escrita. Mas será isto um ensinamento verdadeiro ?  Dentro de uma religião que sempre ensinou unicidade na adoração, (Um Elohim só) haveria dualidade com relação aos Livros Sagrados? Ou seja: Para um ensino escrito e outro oral ?Não lhe parece estranho que "seja permitido" ter duas Torot (Bíblias), sendo que na "Lei Oral" não cita os mesmos profetas e autores da Lei Escrita, e não exista menção na escrita sobre a"oral" ?  Em vez disso a "Lei oral" (Talmud)  diz: "Rabino tal em nome de rabino tal disse: ..." Muito diferente do: "E falou o Eterno a Moisés dizendo: ...". ou " Assim diz YHVH: ... " .
  É importante que você saiba que todo este novo ensino (de "Torá oral") começou apenas nos últimos 2 séculos antes da nossa era, ou seja: aproximadamente 200 anos aec, (antes da era comum), e chegou ao século no qual o Novo Testamento começou a ser escrito.  (Lembro ao leitor não judeu que para um judeu o novo testamento não faz parte dos livros sagrados). Na mesma época surgia a tradição oral rabanita, (Mishná e posteriormente a Guemará), portanto sabemos que os ensinos do Talmud  não tiveram origem no Sinai, mas sua invenção foi a maneira que os rabinos saduseus encontraram de se apossarem do controle total das interpretações e assim conseguir manipular as interpretações de seus alunos e seguidores no primeiro século de nossa era. (Isaías 28:14; Ezequiel 34:4). No passado anterior ao citado eles já tentavam, leia: (ll Reis 17:8 e 17:19). Continue lendo e te mostraremos as provas.
 Esta tradição farisaica  tomou  mais força que nunca, quando no ano 70 ec, o Templo de Jerusalém é destruído pelas mãos de Roma. Como já não dispunha do Templo, o judaísmo farisaico permitiu que a tradição e a interpretação tivessem mais importância que a Lei Escrita, pois antes desta data não há registros dela. Esta tradição deu passo à realização de novos "livros", que passariam a ser "lei" por vontade dos rabinos.  Primeiro escreveu-se a Mishná e posteriormente escreveram-se outros livros: a Guemará,  que juntos mais tarde receberiam o nome de: Talmud.  Por outro lado o cristianismo emergia com seus livros que séculos mais tarde receberiam o nome de: "Novo Testamento". Mas só depois de selecionaremos os que fariam parte do "canon" do N.T. (tente descobrir quem participou desta seleção). Estes sistemas religiosos engendraram diferentes pontos de vista e também conflitos que chegaram a Roma. Com o tempo o centro do judaísmo farisaico passou de Jerusalém à Babilônia, lugar onde preparar-se-iam pelos rabinos da época de forma mais completa os livros do Talmud, ou seja a  "Lei oral" (que não poderia ter sido escrita, mas transmitida oralmente, segundo eles) e que supostamente teria sido dada por Moisés. Os judeus caraítas acham aí uma contradição nas alegações dos judeus talmudistas pois se Deus, segundo eles, "havia dito" que deveria ser transmitida oralmente, por que eles desobedeceram e passaram a escrever também a "Lei oral" ? Agora ela nem poderia mais se chamar: "oral" !  Quem os autorizou escreve-la se nem Moshé (Moisés) ousou fazer isso ? Os judeus talmudistas se defendem e dizem que a escreveram para não correrem o risco de esquecer os ensinamentos orais. Os judeus caraítas retrucam, dizendo: Que risco é esse que Elohim não poderia prever e escaparia de Sua força protetora ?  (Isaías 59:9).  E se foi dada oralmente por Moshé, como é que tem contradições ?  Naturalmente, dizem os judeus caraitas, para impedir que esquecêssemos YHVH mandou escrever (já de primeira), se está escrito a gente não esquece, e foi para isso ( e por isso) Ele deu uma Torá Escrita.  O Criador, bendito seja, nos manda estudar somente a Lei Escrita, como está escrito: "Não se afaste de tua boca este Livro da Torá, (singular) e nele medita dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito,..."   Josué 1:8  (Na boca através da leitura, na tua "testa" é gravando na mente, no "teu braço", significando a ação do aprendizado.) - Eclesiastes 3:14 Diz: " Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente, nada se deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar, ..."  Por que o Criador se preocuparia em que  nos afastássemos do Livro escrito se já existia uma "Lei oral", que não podia ser afastada, já que estava mentalizada ?  Só por este raciocínio podemos perceber que "Lei oral", ou Talmud são coisas que Elohim não ordenou. O Criador não confiaria Sua Lei Sagrada a falhas mentes humanas, correndo o risco de se corromper na transmissão de uma pessoa para outra, porém estando escrito é seguro pois se tem um original para comparar.  É só por isso que a verdade prevaleceu. Porque Torá só tem uma! E está escrito: "E MOSHÉ ESCREVEU TODAS AS PALAVRAS DE YHVH" Shemot 24:3,4; e o verso acima, Devarim 31:24 "Até as acabar..." denota claramente que não se havia esquecido de absolutamente nada, e no caso de nos alertar na Torá sobre a importância de uma "Lei oral", aqui estaria o momento certo para escrever este "importante" aviso.  Todavia nada se escreveu sobre "Lei oral". E por que não se escreveu ? Porque tal "Lei" jamais foi dada por Yahuh, O Elohim de Israel, (Números 27:1-11). Se a "Torá oral" já tivesse sido dada estes detalhes estariam lá, e Moshé não precisaria consultar  Yahuh. Não devemos colocar dúvidas nas palavras documentadas em seu Santo Livro, a passagem acima diz: "E Moshé escreveu todas,..." e se escreveu todas não necessitamos de "Lei oral", que não somente não consegue se provar existente e verdadeira, como pelo contrário: é contraditória e sem nenhuma prova que tenha sido dado por Deus. Só porque um "sábio" rabino disse, etc, não quer dizer que Deus disse ... ! Eles seguem cegamente o que o rabino disse, sem conferir nas Escrituras.    Importante observar também que os judeus tradicionais da doutrina farisaica afirmam que há dois Talmudim, o de Babilônia e o de Jerusalém, e sabemos que seu conteúdo é diferente e divergente em muitíssimas partes, e que o de Babilônia é considerado mais "fiel". (Justo o de Babilônia ? ! ...)  Observam os judeus caraítas porém, que em toda Escritura o conjunto de normas sagradas é sempre mencionado no singular "Torá", e não no plural: "Torot", o que reforça o argumento judaico caraíta de que o Eterno deu mesmo somente uma Torá.  Em sua defesa os judeus caraitas afirmam ainda que: Se o Elohim tivesse dado uma "Lei oral", Ele teria falado sobre ela pelo menos uma vez em toda a Bíblia, o que não ocorreu.
Se  em vez de terem criado o Talmud os rabinos do passado tivessem se concentrado firmemente em divulgar somente nossa Torá Escrita, as perseguições não teriam ocorrido com tanta ferocidade, a historia dos "exílios modernos" seriam bem menores, o holocausto jamais teria ocorrido, e todo Israel hoje seria de judeus caraítas.  Quanto sofrimento mais terá que suportar o teimoso Israel fariseu, até dar razão ao pequeno grupo dos seus irmãos caraítas quando lhes pede: Abandonem o conceito de lei oral  ? Como pode um povo escolhido para ser 'luz das nações' não enxergar tamanho erro ?
______________________________________________________



    2002: Just for the record in the history of the Karaite Jews of Egypt in modern times.
Postado há 24th April 2011 por Judaísmo Bíblico


ESTA É UMA POSTAGEM DO JUDAÍSMO BÍBLICO FUNDAMENTADO.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

MORALIDADE ANIMAL - SINTONIA CÓSMICA.



CÓDIGO DE MORALIDADE NATURAL EM SINTONIA CÓSMICA.

Todo vivente tem moralidade natural.

Por: Benyamin ben Avraham.

"E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum e vestiram-se com saco, desde o maior até o menor deles." (Jonas 3:5).
 
 
Naturalmente que existiram exceções para alguns indivíduos que  desprezarão espontaneamente a moralidade básica, esta todavia foi impressa naturalmente neles também.  Independente da educação e ensinamento que cada um recebe, seja ele hindu, Islâmico, católico ou evangélico. No livro do Gênesis e em outras partes do Mikrá (Bíblia Hebraica), encontramos evidências da
existência de um código moral natural básico impresso na mente da humanidade ( Gênesis 13:13). Percebemos isso no comportamento das pessoas das nações nos relatos bíblicos e históricos. Estes códigos de moralidade internos por si só  guiam os humanos instintivamente a padrões básicos de moralidade desde os primórdios.  Apresentemos as provas:  Ninguém havia doutrinado Sodoma, mesmo assim, eles sabiam que o que estavam fazendo era errado (Gênesis 13:13).  Também os outros seres, os animais, seguem um padrão de equilíbrio que foi gravado naturalmente em suas mentes e que os impedem de desrespeitar, pois a natureza os obriga seguir um padrão ético de comportamento de benefício mútuo. Os seres humanos que não haviam sido doutrinados por leis mais "avançadas", digamos assim, e que não haviam tido contato com os princípios bíblicos imediatamente a sua criação, tinha também um código interno de comportamento que naturalmente deveriam seguir. Acredito que estas leis básicas de moralidade foram mesmo passadas de geração para geração desde Adão, EX: Não matar, não roubar, respeitar a propriedade alheia e a esposa do outro, etc. Para podermos entender melhor vou dar exemplos:  Com exceção da família de Noé, a humanidade foi destruída no grande dilúvio
por causa da maldade das pessoas que viviam na época certo ? (Gênesis 6:13). Que código moral escrito havia naquela época que dissesse o que era mal e o que era o bem ? Como poderiam ser julgadas e condenadas aquelas pessoas  sem que houvesse a certeza por parte do Criador de que elas faziam o mal propositadamente ? Um Deus de justiça sempre se atem aos detalhes do conhecimento de cada um, e é por este padrão que todos são julgados. Deus ao falar mais tarde sobre a cidade de Nínive no livro de Jonas, se apiedou de pessoas que não sabiam a diferença entre a mão direita e esquerda (alegoria para simplicidade), referindo-se alegoricamente a seu baixo nível de instrução, e mesmo assim eles sabiam que estavam errados e se arrependeram. Eles sempre souberam que matar e roubar era errado, que adulterar e desrespeitar pai e mãe não era legal, etc. (Sabemos que o dilúvio ocorreu antes que a Torá (Lei de Deus) estivesse escrita. Então só poderemos concluir que obviamente as pessoas de qualquer parte sabiam o que era errado e o que era certo fazer naturalmente.  Temos certeza hoje que sempre houve um “código moral natural interno" para definir a direção comportamental dos que prestavam atenção em suas consciências e circunstâncias aquelas pessoas especiais estavam vivendo. Todo ser vivente sabe que a vida tem regras e estas precisam ser respeitadas para dar condição de continuar. Respeitar para ser respeitado, obedecer para ser obedecido, cuidar para ser cuidado, etc. Fazer o mal é errado e não precisamos ser mestres em assuntos religiosos e morais para sabermos disso. Naturalmente que as pessoas que fazem coisas erradas sabem que são erradas. Mas mesmo assim algumas escolhem faze-las de livre e espontânea vontade. Estes a razão nos autoriza a chamar de maus, e eles realmente são maus. No momento em que agem estes atrapalham seu próprio raciocínio fingindo que não entendem bem os códigos morais, ou imediatamente arranjam uma "nova interpretação" para si mesmos . Tudo porque querem fazer o mal, e insistem nele achando que se não 'entendem bem' não serão punidos.  Pensam em "ludibriar" Deus.


Principalmente nos dias atuais onde tudo está bem as claras com relação aos códigos das leis do Tanah (bíblia), que estão e são estudados exaustivamente, não há um só ser humano na sociedade civilizada que não as conheça e nunca os tenha ouvido.

 No primeiro livro Sagrado, Gênesis 13:13 diz: “E os homens de Sodoma eram maus e pecadores contra Yhvh.”  Por que contra Deus ? Porque contrariaram suas leis naturais. E como sabemos que eles eram maus ? Porque não faziam o que era certo. E o que era certo e errado na mente das pessoas da época ? - Em que eles baseavam seus princípios morais, se a eles não se havia dado lei alguma, eram pessoas que viviam aparentemente sem um código regrado e devidamente estudado ?  Eles seguiam o que o código natural interno dentro deles determinava, seu código natural de comportamento de acordo com os costumes locais onde viviam. Haviam leis regionais, tribais ou ancestrais, como vemos ainda hoje em povos que vivem em algumas ilhas isoladas. Não apenas os humanos percebem estas leis naturais, mas mesmo os animais as observam e as seguem. Algumas vezes até, mais fielmente que os humanos por incrível que possa parecer.  Será isto real, terá fundamento? Por que parece que estou repetindo o assunto ? Para me fazer entender, se não vejamos: Observemos exemplos na natureza: O leão não ataca seus filhotes porque eles são sua prole isto não se faz. Ele espera pacientemente que os filhotes cresçam para poder novamente cruzar com suas mães leoas.  Ele protege toda a ninhada e também as fêmeas mesmo fora do período reprodutivo, demonstrando bondade e afeto com sua família. Ele observa o mesmo padrão entre suas presas com suas respectivas crias. Mesmo o predador com abundância de alimentos a sua volta não matará a menos que esteja com fome, ele sabe que é errado desperdiçar, matar e não comer, pois se fizer isto pode faltar presa quando precisar. Quando o leão está se alimentando de sua presa recém caçada, os demais não se preocupam, pois sabem que ele não atacará, visto já ter o que quer. O predador demonstra bondade com suas presas quando não está com fome, as vezes brinca com elas segurando-as, e depois as deixa ir embora. Isto é observado mais frequentemente entre orcas e focas mas também entre todos os predadores. Algumas espécies tem leis territoriais bem rigorosas, e quando são infrigidas podem matar o infrator de sua própria espécie. Por exemplo quando um  bando de macacos chimpanzés invade o território do outro bando pode ser morto pelo bando mais forte por infringir uma lei da selva que diz que cada um tem seu território. Eles sabem que os limites deste devem ser respeitados. Quem deu estas leis ? Foi o mesmo que os criou. Uma lei natural, entendida naturalmente pelos animais, intrínseca neles mesmos. Na questão da fidelidade, algumas espécies de psitacídeos (araras, papagaios e periquitos), são ainda mais fieis que os humanos, pois se sua parceira ou parceiro de toda vida por algum motivo morre, eles jamais se acasalam de novo, ficando sozinhos até a morte. O mais interessante é que este padrão não é quebrado nem mesmo por um indivíduo "exceção", digamos assim, simplesmente não há registro de exceção. Assim vemos que um padrão tão belo de comportamento pode ocorrer com os animais, e seria natural esperar que seres humanos mesmo sem terem sido doutrinados, no seu estilo selvagem ou sem instrução de éticas morais fisesse semelhante ou melhor que os animais, mas muitas vezes não é isso que ocorre. Todavia, encontramos inúmeros exemplos na história humana destes fatos onde a espécie humana pratica atos de bondade e respeito, mesmo não tendo recebido ensinamento como o temos hoje.  Quem foi que ensinou os índios à se respeitarem, as aves e todos os outros animais tanto da terra dor ar, mar e da água ? Foi o código de moralidade natural básico de sua criação. É a ordem natural das coisas. Além disso, se olharmos para o capítulo 26 do Gênesis, vemos
Avimelek, rei dos filisteus. Veja, ele sabia que o adultério era errado e teria consequências contra ele. a poligamia era aceita, mas ele sabia quais esposas eram dele e qual não era.
Pode se ver a base indicativa do código moral "natural" em toda a história humana. Este código de moralidade
"natural" é, provavelmente, estampado nas mentes humanas desde a concepção: cortesia , afabilidade, respeito, compreensão, são gravados na nossa memória genética, chamamos isso de sabedoria instintiva, naturalmente que em diferentes graus, o que distingue uma pessoa da outra.
Exemplo deste Código Moral - Dar o exemplo.

Este código moral "natural" pode ser encontrado espalhado por toda o Tanah (Bíblia).
Reflita nos 10 mandamentos, e você verá que eles não foram feitos só para os judeus, foram feitos para toda a humanidade. Leia: “pois quando na terra estão Teus julgamentos, integridade é aprendida pelos moradores da terra” (Isaías. 26:9). Naturalmente que Elohim queria que Israel fosse o modelo, e fez uma entrega especial, escrevendo, explicando, organizando estas Leis através da Torah, e posteriormente exemplificando com a vivência dos profetas , a beleza dos salmos, a sabedoria dos provérbios, as histórias tocantes de todos os Sagrados livros de nosso Tanah. Vimos através da história que este Código Moral escrito (Bíblia hebraica), dado ao povo judeu e que a humanidade tomou conhecimento influenciou todos os códigos entre todas as nações do mundo . Um testemunho da busca do conhecimento judaico é dado nas Escrituras no livro de salmos onde diz:
"Os príncipes dos povos se congregam para serem o povo do Deus de Abraão;..." (Salmos 47:9 ) Este verso mostra que já no passado muitos estudavam os ensinos das Escrituras com o povo de Israel, para poderem entrar no Seu sagrado pacto, e desfrutarem deste imenso privilégio que é pertencer ao povo do Elohim de Avrham, o Deus de Israel, Bendito seja ! Relembramos o mandamento  do Elohim Verdadeiro: "Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis o mandamento de Yahuh vosso Elohim, que vos mando." (Deut. 4:2).  Portanto tudo que as pessoas corretas precisam saber está no Tanah (Bíblia Judaica ou hebraica), sendo elas judias ou gentias, tem a obrigação de examina-las para poderem entenderem as corretas diretrizes de sua vida. Assim, o povo de Israel que foi chamado para ser o exemplo, tendo o conhecimento minucioso dos detalhes deste complexo sistema de leis morais. Possui habilidade em seu espírito desde muito jovem em assuntos de moralidade, sendo treinados não só para praticarem quanto para ensinarem. Recai sobre nós judeus muitíssimo mais responsabilidade em ser o exemplo, não só para nossos irmãos judeus como para todo o mundo. Sobre nenhuma outra religião recai tamanha responsabilidade e em troca Deus nos deu um fundamento irrefutável de que somos o Seu povo escolhido:  Leia: Deuteronômio 14:2; Êxodo 34:10; Jeremias 31:35-37; Isaías 4:3; Zacarias 8:23; Salmos 89:33-36.  Naturalmente, isto trará grandes transformações, afinal, você estará optando por uma vida bíblica, cujo ensino não possui contradições, pois a profecia garante: "Não sereis enganados nem confundidos por toda a eternidade". (Isaías 45:17/ Sofonias 3). Saibamos valorizar tamanho privilégio, fazendo o nosso melhor e lapidando a cada dia um pouquinho mais o nosso caráter pela sagrada Torá, até chegarmos a perfeição de uma obra fascinante, cujo brilho não permitirá passar desapercebidos aos olhos de quem tem sede do conhecimento que pode dar vida eterna. Grande paz a todos.



ESTA É UMA POSTAGEM DO BLOG JUDAÍSMO BÍBLICO FUNDAMENTADO.

DIREITOS RESERVADOS DO AUTOR.  BenyaminC2011